28 de outubro de 2008

Os incompreendidos


Apesar de todo o barulho que se faz em torno deles (com direito a bonecões no metrô em São Paulo, lojas especializadas e até uma versão MEEEDO criada pela Xuxa), acho a Toy Art (e suas variantes) muito mal compreendida.

Eu adoro. Mesmo. Quem conhece a minha casa sabe que ela é repleta de "brinquedos", meus e do Henrique. Dos mais diversos tipos. 

O problema é justamente esse. A maioria das pessoas acha que você tem brinquedos em casa. E que seus sobrinhos - e os filhos dos seus amigos - podem brincar a vontade com eles. Até explicar que não é bem assim (e mesmo depois de explicar), você é visto como um crianção egoísta que quer fazer as criancinhas do mundo infelizes e deixá-las traumatizadas. (ironia, gente, ironia...)

Dane-se que as pessoas pensam assim. Eu queria ter uma vaca da cow parede na sala, e não daquelas em miniatura. Eu queria estar em Paris nesse momento para ver a exposição dos pandinhas. Eu mal tive tempo de ver a Tree Parede, em Lisboa, que estava linda. Eu queria levar meu Nabaztag do trabalho pra casa. E eu quero a coleção toda do Simpsons da Kidrobot. Eu só não tenho coragem, ainda, de gastar uma fortuna em um boneco estiloso. Quando as coisas melhorarem, quem sabe?

Depois do iDog (ah é, eu tenho um iCat em casa) e mesmo do Nabaztag, eu achava difícil alguém criar alguma coisa nessa linha "caixa de som pra iPod" que despertasse o meu desejo. Mas a Headphonies conseguiu. Essas belezinhas chegam ao mercado (lá fora) em novembro por US$30.

Vou repetir a pergunta que eu faço volta e meia aqui nesse espaço: alguém com espaço na mala está indo pros Estados Unidos em novembro??? ;-)  

(foto by LikeCool.com)

2 comentários:

Henrique disse...

você TEM os Simpsons (quer dizer, o ladrão de Springfield). eu tenho o Homer (laalalalalala)

Mr. Anttonio disse...

compartilho com vosso sentimento, tenho dois Idogs, um Icat, um IPenguin, todos acham que são brinquedos, acho que são uma otima decoracao.